Um anno na corte, Volumes 1-3 (Google eBook)

Front Cover
Viuva Moré, 1863 - Portugal
0 Reviews
  

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Common terms and phrases

Popular passages

Page 115 - Basta, senhor, que a um rei de Portugal hão de dizer seus ministros, que não ha meio de
Page 209 - ce bonheur suprême, Dont la flateuse idée, occupoit ses désirs, Sous l'appas séducteur des terrestres plaisirs. Après donc avoir fait ces diligences vaines, Et pour y réussir essuyé mille peines, 11 reconnut
Page 115 - acudir ao Brazil, que é tudo o que hoje temos! Ora eu, com esta roupeta remendada, espero em Deus que
Page 86 - Sem haver chefe que mande; Como quereis que a cura ande, Se a ferida está
Page 50 - quinta de Alcântara ter com o seu novo amante; mas... o barco em que ia afundou-se, e nunca mais se soube d'ella. — Havia tempestade n'essa tarde? — O mar estava socegado. Estas ultimas palavras
Page 56 - buscar mais pescoços á manada: Que no resto das iras d'esta espada, Nova morte sem nova acção te espera. Mas já que ao ferro do melhor Mavorte, Depois de sorver vidas,
Page 209 - les honneurs que peut donner le monde Rien n'a pu le fixer dans ses désirs
Page 157 - O poder próprio em que se funda a conservação de Portugal, ou são as forças interiores do reino, ou as exteriores das conquistas; e
Page 56 - só bruto limitada: Queixa-se da matéria a cutilada: Mais funda entrara, se mais fundo houvera. Torna (se podes) a viver, ó fera;
Page 50 - E ella; Aza onde está agora? — Onde ninguém lhe tornará a pôr os olhos. — Morreu! — Poucas semanas depois de me ter abandonado embarcou uma tarde, ao sol posto, na Ribeira, para ir

Bibliographic information