O Opositor

Front Cover
Objetiva, 2004 - 140 pages
0 Reviews
Quarto volume da coleção 'Cinco Dedos de Prosa', 'O Opositor' é narrado com o humor inteligente que consagrou Luís Fernando Veríssimo como um dos mais importantes autores do Brasil. Cada vez mais habilidoso nas suas crônicas diárias, publicadas em vários jornais do país, neste livro Veríssimo apresenta uma novela de suspense - engenhosa, alegórica, irresistível. O narrador é um jornalista paulista que vai até Manaus fazer uma reportagem sobre plantas alucinógenas e acaba se envolvendo com a linda Serena - uma mulher metade dinamarquesa, metade índia, que teve os dois polegares decepados. Seduzido, ele passa a tomar diariamente xícaras de um chá dotado de propriedades alucinógenas preparados por Serena. Exausto e extasiado depois de mais uma tarde de amor com a moça, o repórter, num raro momento de sanidade, encontra um bar onde busca água. Neste bar ele conhece Jósef Teodor, o Polaco, um homem grande e vermelho que parece viver a base de cachaça e há anos não sai do bar nem larga a cadeira que elegeu como pátria. É naquele bar, uma metáfora divertida do Brasil, que o narrador vai ouvir pela primeira vez a história misteriosa de Polaco. Ele trabalhava para o Grupo Meierhoff, o mais poderoso do mundo. Sua missão era liquidar quem ameaçasse a supremacia desta importante organização secreta. Em pouco tempo, e sem se dar conta, o jornalista se vê envolvido em um enredo de suspense, de onde talvez só possa sair quando chegar a um afluente do rio Negro. E enquanto Polaco vai enredando o repórter numa trama alucinante, o leitor é enfeitiçado pelo texto divertido de Verissimo.

From inside the book

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Common terms and phrases

Bibliographic information