1932, o Brasil se revolta: o caráter nacional de um movimento democrático

Capa
o Estado de S. Paulo, 2004 - 208 páginas
0 Resenhas
Costuma-se relacionar a Revolução Constitucionalista de 1932 com o estado de São Paulo. De fato, geograficamente, foi no território estadual paulista que se desenrolaram os fatos mais marcantes da maior guerra civil brasileira. Mas não era um conflito exclusivamente paulista, ou de São Paulo contra a União. Na verdade, era um confronto ideológico entre a democracia e o autoritarismo cujo palco principal, por diversas razões relatadas neste livro, ficou restrito a São Paulo. Fundamentado em farta documentação, parte dela levantada no exterior, junto às representações diplomáticas, o historiador José Alfredo Vidigal Pontes mostra que a chamada 'revolução paulista' foi antes de tudo uma revolta nacional, habilmente sufocada por Getúlio Vargas, contra a continuidade da ditadura e do autoritarismo.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Outras edições - Visualizar todos

Informações bibliográficas