A revolta das palavras: uma fábula moderna

Front Cover
Companhia das Letrinhas, Jan 1, 1999 - Letters - 32 pages
1 Review
As palavras não aguentaram mais ser objeto de abuso e se revoltaram. Elas se cansaram de estar sendo usadas de maneira errada por pessoas sem escrúpulos, que só queriam tirar vantagens para si, sem se importar de causar prejuízo aos outros. Assim, sob o comando das palavras 'Verdade' e 'Mentira', elas decidiram atrapalhar a vida de todo mundo que alterasse o sentido delas para fazer uma desonestidade qualquer. Imediatamente puseram em prática a decisão ... e coisas muito estranhas começaram a acontecer pelo mundo afora.

What people are saying - Write a review

User Review - Flag as inappropriate

A revolta das palavras - uma fábula moderna
Poeta brinca com a relação das palavras com o poder numa parábola cheia de humor
As palavras se rebelam
Imagine se um dia as palavras decidem se rebelar
contra os humanos, porque estão insatisfeitas com o uso que
fazemos delas. De repente, o político diz que não vai cumprir o que prometeu e que só se elegeu por dinheiro. O anúncio
revela que o produto não é tão bom quanto se pensa, aliás não é nem um pouco melhor que os concorrentes. O mundo
viraria de cabeça para baixo e nós perderíamos o prumo.
Com essa idéia maravilhosa, o poeta e tradutor José Paulo Paes (falecido em 1998) escreveu a "fábula moderna" A
revolta das palavras. Com desenhos belíssimos e delicados de Angela Lago, o livro é uma pequena obra-prima infantojuvenil,
como os demais trabalhos do autor. Paes escreve com simplicidade encantadora, com o domínio das palavras
que só um bom poeta alcança. Sua fábula começa com a comparação entre o dicionário e um pomar. As analogias são
deliciosas. Quando as palavras decidem revoltar-se são lideradas por duas das mais maltratadas: Verdade e Mentira. A
confusão que armam com sua revolução é digna de gargalhadas.
Por trás dessa brincadeira há uma mensagem vigorosa, profunda, que é a de que as palavras regem a ordem do
mundo e podem mudar os rumos da realidade. O que seria do ser humano sem as palavras? Toda nossa história,
racionalidade e arte são fundadas em palavras. O poeta talvez seja o único que reconhece o verdadeiro poder das
palavras.
É claro que revolução durou apenas um dia e depois tudo voltou ao normal, isto é, as pessoas trocando mentiras por
verdades e vice-versa. Foi uma curtição das palavras. O dia da revolta foi em 2 de abril, porque no dia 1º seria impróprio,
logo no dia da mentira. Mas o autor alerta que, embora nada tenha mudado de fato, as pessoas que lerem sobre o
episódio jamais pensarão como antes. Agora, uma questão de consciência foi plantada.
< Reynaldo Damazio >
:: A revolta das palavras - uma fábula moderna, José Paulo Paes, ilustração de Angela Lago, Companhia das Letras,
São Paulo, 1999, 25 pp., tel. (0xx11) 866-0801, formato 21 x 21 cm.
WebLivros
http://
 

Bibliographic information