Arte de furtar: espelho de enganos, theatro de verdades, mostrador de horas minguadas, gazua geral dos reynos de Portugal ...

Front Cover
Impresso por T.C. Hansard, 1821 - Fraud - 428 pages
1 Review
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Other editions - View all

Common terms and phrases

Popular passages

Page 28 - ... pizar, tratou de o assegurar logo repartindo igualmente com o seu moço que o guiava, e para isso concertou com elle que o comessem bago e bago alternadamente; e depois de quatro idas e venidas, o cego para experimentar se o moço lhe guardava fidelidade, picou os bagos a pares: o moço vendo que seu amo falhava no...
Page 395 - . . .Furtar o que vos hãode demandar, e fazer pagar, em que vos pez, é a maior tolice de todas, como se viu no que succedeu ao Carvalho, na semana em que componho este capitulo. Era guarda da alfândega de Lisboa, e guardava as fazendas alheias muito bem, porque as punha em sua casa, . como se foram suas: foi demandado por isso; e porque não deu boa razão de si ás partes, o...
Page 279 - Aqui me vem a curiosidade de perguntar, qual he a razaõ, porque nenhuma náo, nem galeaõ nosso, ou vá de viagem, ou de armada nunca leva boticas, nem medicamentos communs, para as febres da Linha, nem para as feridas de huma batalha, nem para o mal de Loanda, nem para nada...
Page 275 - ... era rico, porque adquiria com unhas de fome o que entesourava. Sucedeu um dia que, indo o novo pagem comprar...
Page 276 - Em ouvindo isto o rapaz voltou para casa, como um raio, fugindo. Trancou as portas e disse espavorido a seu amo : « Senhor, ponhamo-nos em armas, que nos trazem cá um homem morto !> « Tu deves de vir doido — disse o amo —, pois cuidas que a nossa casa é igreja.
Page 276 - A' casa, onde se naõ come, nem bebe, nem tereis cama, mais que a terra fria ? Em ouvindo isto o rapaz, voltou para casa como hum rayo fogindo, trancou as portas, e disse espavorido a seu amo. Senhor ponhamo-nos em, armas, que nos trazem cá hum homem morto ! Tu deves de vir doudo, disse o amo, pois cuidas que a nossa casa he Igreja.
Page 276 - Bem sei — disse o mogo — que esta casa não tem igreja mais que o adro que é vm ao meio día; e por isso entrei em suspeitas, se viriam cá enterrar aquele finado. E confirmei-me de todo, porque a gente que o traz vem dizendo que o levam á casa onde se não come nem bebe, nem há cama, mais que a terra fria; e como aqui ninguem come, nem bebe, nem tem cama, ... Bem digo eu que cá o trazem e que fiz bem de fechar as portas, pois bastam os defuntos que cá jazemos, mortos de fome, que é pior...
Page 276 - ... ninguem come, nem bebe, nem tem cama, bem digo eu, que cá o trazem ; e que fiz bem de fechar as portas, pois assás bastaõ os defuntos, que cá jazemos mórtos de fome, que he peor que de maleitas.
Page 247 - EIRey, como se vò ao perto. E por esta solfa se deixa este, e outros tais como elle, hir descantando semelhantes letras, até que sayem com a sua por escrito, estorvando, e tirando os despachos a quem os merece, para os incorporarem em si. E ainda nial, que lhes succede.
Page 28 - E quem vos disse a vós que fiz tal aleivosia?" "Isso está claro — respondeu o cego — , porque faltándo-te eu primeiro no contrato, comendo a pares, tu te calaste sem me requereres tua justiça; e não eras tu tão santo que me levassen em conta nem em silêncio a minha semrazão, senão pagando-te em dobro pela calada.

Bibliographic information