Cézanne

Front Cover
"Eu pinto como vejo, como sinto, e minhas sensações são muito fortes. Eles (Courbet, Manet, Monet) também sentem e vêem como eu, mas não ousam." - Cézanne Paul Cézanne (1839-1906), o gênio, o artista controvertido, o maior pintor de seu tempo. Ele reinventou a pintura, já que as formas antigas não lhe bastavam. Expandiu os limites do ateliê a ponto de instalar seu cavalete no meio da natureza e retratou as montanhas de sua cidade natal, Aix-en-Provence. Escandalizou a todos com suas banhistas nuas. Explorou os matizes das cores, as nuances da luz e delirou com a perspectiva em suas naturezas-mortas. Para Picasso, ele era o único mestre: Cézanne, o herói da arte moderna. Prêmio de biografia da Ville d'Hossegor, França, 2007
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Selected pages

Contents

Section 1
Section 2
Section 3
Section 4
Section 5
Section 6
Section 7
Section 8
Section 18
Section 19
Section 20
Section 21
Section 22
Section 23
Section 24
Section 25

Section 9
Section 10
Section 11
Section 12
Section 13
Section 14
Section 15
Section 16
Section 17
Section 26
Section 27
Section 28
Section 29
Section 30
Section 31
Section 32
Section 33
Section 34

Common terms and phrases

About the author (2009)

Bernard Fauconnier publicou seu primeiro romance, que chamou muita atenção, em 1989, intitulado L'Être et le Géant, a história de um encontro imaginário entre Jean-Paul Sartre e Charles de Gaulle (Régine Deforges, reed. Éditions des Syrtes, 2000). Desde então, escreveu vários outros livros: Moyen exil (Régine Deforges, 1991), L'Incendie de la Sainte-Victoire (Grasset, 1995), Kairos (Grasset, 1997) e Esprits de famille (Grasset, 2003). Cronista e ensaísta (Athée grâce à Dieu, Desclée de Brouwer, 2005), ele é colaborador da revista Magazine littéraire. Atualmente, mora na região de Aix-en-Provence.

Bibliographic information