Hannah Arendt e a banalidade do mal

Front Cover
Editora UFMG, 1998 - Civil war - 152 pages
1 Review
Este livro trata do caminho de Hannah Arendt na direção do esclarecimento do fenômeno do mal. Tal como ocorreu com outros autores de nosso século, a reflexão da filósofa tem origem em uma espécie de espanto e de choque, quando, em 1943, tomou conhecimento da existência dos campos de extermínio. 'Hannah Arendt e a banalidade do mal' dirige-se tanto aos conhecedores do pensamento arendtiano quanto àqueles que desejam conhecê-lo, colocando-se na fronteira entre as áreas de filosofia, política, história, sociologia e direito. É no contexto da reflexão sobre o julgamento do criminoso de guerra Adolf Eichmann que Arendt funda os conceitos de banalidade do mal e de vazio de pensamento, , constituindo-se em suportes das formas de dominação da era moderna.
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Contents

O MAL RADICAL COMO PONTO DE PARTIDA
15
A NOVIDADE TOTALITÁRIA
39
A BANALIDADE DO MAL
69
O VAZIO DE PENSAMENTO
105
Copyright

Other editions - View all

Common terms and phrases

Bibliographic information