No Caminho Da Filosofia

Capa
Clube de Autores, 31 de out. de 2012 - 89 páginas
0 Resenhas
As avaliações não são verificadas, mas o Google confere e remove conteúdo falso quando ele é identificado
Através desta apostila desejo provocar em você o desejo pela leitura e pela curiosidade, fazendo uso da filosofia. Você pode esta se perguntando: “Para que estudar Filosofia?”. Se você começou assim parabéns, saiba que já faz parte da turma de filosofia, pois você já começou perguntando. Na Filosofia, a pergunta tem um papel especial. É a protagonista da história. “Para que Filosofia?”, tem a sua razão de ser. Em nossa cultura e em nossa sociedade, costumamos considerar que alguma coisa só tem o direito de existir se tiver alguma finalidade prática, muito visível e de utilidade imediata. Por isso, ninguém pergunta para que as ciências, pois todo mundo imagina ver a utilidade das ciências nos produtos da técnica, isto é, na aplicação científica à realidade. Parece, porém, que o senso comum não enxerga algo que os cientistas sabem muito bem. Verdade, pensamento, procedimentos especiais para conhecer fatos, relação entre teoria e prática, correção e acúmulo de saberes: tudo isso não é ciência, são questões filosóficas. O cientista parte delas como questões já respondidas, mas é a Filosofia quem as formula e busca respostas para elas. Iniciaremos nosso estudo de Filosofia, através do Centro Educacional Evolução, e pretendemos levar você, estudante, a visão crítica do mundo. Crítica não no sentido de ser chato, embora isso também seja papel da filosofia, mas para que não aceitemos ou acreditemos sem questionar. Se antes somente a filosofia grega influenciava, agora temos a filosofia alemã, francesa e judia que se destacam. Dentre as celebridades da filosofia atual podemos destacar Cyril Aslanov, linguista franco-israelita – um dos mais importantes e respeitados professores da Universidade Hebraica de Jerusalém, e Shalom Rosemberg, professor emérito nos departamento judaico e de filosofia na Universidade Hebraica de Jerusalém. Cyril diz que a filosofia é possível em todas as linguagens, mas não é possível chegar a uma compreensão profunda das filosofias gregas e alemãs sem ter acesso aos textos originais. A “Eironeia”, por exemplo, é um étimo grego da palavra ironia. A “eironeia” socrática não é um modo de zombar das pessoas como a ironia moderna, mas uma interrogação radical e deliberadamente ingênua sobre as opiniões convencionais. Os gregos debatiam muito sobre a democracia. Mas como falar em democracia grega no século V a.C, por exemplo, não é um paradoxo? Pois que democracia era aquela que tinha escravidão? Os gregos do séc. a.C. usavam a palavra “democracia” que significa literalmente “governo do povo (dêmos)”. Foram eles que inventaram o termo e restringiram a categoria do dêmos ao cidadão do sexo masculino nascido em país ateniense, o que excluía automaticamente os escravos, os estrangeiros (metecos) e as mulheres. Rosember toca no mesmo assunto ao falar do problema da pós-modernidade, pois diz que “os grandes pecados foram que de um lado a Europa pregava a igualdade, liberdade, fraternidade, e de outro, escravizou a África e parte da Ásia”. Por fim, estudaremos aqui alguns conceitos filosóficos abordados em três módulos: Módulo I: conceitos gerais da filosofa e uma visão panorâmica da mesma; Módulo II: Alguns temas específicos; Módulo III: Estética, Filosofia Moral; Alguns filósofos e vocabulário filosófico.
 

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Páginas selecionadas

Conteúdo

Seção 1
5
Seção 2
10
Seção 3
33
Seção 4
38
Seção 5
41
Seção 6
45
Seção 7
49
Seção 8
53
Seção 9
57
Seção 10
58

Termos e frases comuns

Informações bibliográficas