O problema do realismo de Machado de Assis

Front Cover
Editora Rocco, Aug 16, 2012 - Literary Criticism - 120 pages
0 Reviews
Machado de Assis não é realista. A afirmação, que rompe com um dos maiores dogmas da Teoria da Literatura brasileira, é a ideia central do livro do escritor, ensaísta e professor Gustavo Bernardo, hoje um dos mais importantes nomes da reflexão sobre Literatura e Educação do Brasil. Nesta jornada audaciosa, que promete suscitar inúmeras discussões entre estudiosos da literatura, o autor argumenta que aquilo que tem sido dito sobre a obra de Machado de Assis é efeito de uma Teoria Literária que se importa mais com a cronologia das publicações do que com o conteúdo delas. Para Bernardo, decidiu-se classificar Machado como realista simplesmente porque o “Bruxo do Cosme Velho” escreveu após famosos autores classificados como românticos. E nesta dicotomia entre o Romantismo, da ilusão, e o Realismo, da realidade como ela é, esqueceu-se de perceber como Machado de Assis era único: simplesmente machadiano.
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Selected pages

Contents

Section 1
Section 2
Section 3
Section 4
Section 5
Section 6
Section 7
Section 8
Section 9
Copyright

Common terms and phrases

About the author (2012)

Gustavo Bernardo é professor no Instituto de Letras da UERJ, pesquisador do CNPq e autor de vários ensaios – com destaque para Educação pelo argumento (2000) e O livro da metaficção (2010) – e romances, como Reviravolta (2007) e Monte Verità (2009).

Bibliographic information