SAGRACAO DAS DESPEDIDAS

Front Cover
biblioteca24horas - 62 pages
0 Reviews
Sagração das despedidas traz relampejos da beleza. Uma beleza que está presente em devaneios, mas que só se realiza quando cada verso vibra dentro da sua individualidade,conferindo a cada poema cintilação singular. Essa inscrição instaura momentos que provocamarrepios. É a conformação estética da beleza, é a realização de uma experiência íntegra. Bonafim sabe o quanto custa essa alquimia, sabe que parafitar a beleza é necessário ?estar de mãos dadas/ com todos os desastres/ com todas as febres? - do posfácio de José InácioVieira de Melo
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Selected pages

Contents

Sagração das despedidas
7
Eu sempre fui o pastor do teu riso
13
Eu não guardo o nome dos dias
14
Nos espaços inumeráveis há um chamado
15
Vem de longe dos vales orvalhados
16
O perfume da hortelã quando incendeia
17
Um barco nos uniu no roteiro das águas
18
Quando chegaste banhei teus pés em límpida água
19
Guardavas no rosto o silêncio dos presságios
36
O que restou das mãos ungidas
37
Lentamente uma escuna vincou nas águas
38
É na sombra dos pássaros
39
Uma brisa soprou as flores do pessegueiro
40
No silêncio onde morrem os ventos
41
Tiveste o perfil desenhado por escunas de sal
42
Quando o silêncio lateja o voo dos pássaro
43

Em todos os meus sentimentos
20
Tudo o que eu fui as pegadas
21
Beijasteme os olhos
22
Desnudome nessas águas nas palavras
23
Lentamente o existir se esboroa
24
Quando a derradeira hora soou
25
Essa é a hora das despedidas Um vento
26
Construí minha casa
27
Éramos a arquitetura da areia
28
Os que morreram renascem todos os dias
29
Para enfrentar a tua beleza
30
Talhado pelos presságios pelo encanto
31
Foise a primavera Desvaneceramse
32
O perfume do pão madura vida
33
Pastor de cantigas e brisas perdidas
34
Se te olho a face
35
Onde jamais existimos
44
Não cabe no silêncio
45
Tenho fome de dias tatuados
46
Quando me abraçavas
47
Essa dádiva que a vida subitamente
48
Humildemente aprendo a despedirme
49
Nunca sabemos o nome dessa constelação
50
Na tua nudez inscrevi o destino
51
Nessa noite sem lua
52
Impunemente o amor esqueceu meu nome
53
Diante do teu silêncio sou apenas a minha nudez
54
Por onde caminhares
55
Despidas pelos muros pelas pedras
56
No princípio era o encontro
57
Celebração do encontro
58
Copyright

Common terms and phrases

Bibliographic information