Versos Morfinos: Entre Licores e Espinhos

Front Cover
Clube de Autores, Apr 11, 2011 - Poetry - 70 pages
0 Reviews
E "o silêncio é meu cúmplice involuntário e meu eterno Amante". Entre o silente e o grito, o tormento da alegria triste, o coração e a carne buscam nas palavras vivas e mortas uma luz lírica, erótica, taciturna e catártica . O tecer das palavras sobre a folha adjacente a alma cria o fluxo da escrita, a persona dos signos, e por fim a poesia do cerne. Por entre este abismo imperfeito o poeta transcende-se com sua visão das coisas, e denota a sensibilidade e a liberdade entre seus versos, calmos, alegres, tristes, agoniados, desejosos, mas sempre reais, sempre consigo dentro das entranhas de cada letra, de cada imagens por trás da palavra, que voeja e soljefa como um Deus Mortal.
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Contents

A menina que lacrimejava espelhos 15
15
lmperfeição RV f 21
21
Valsante Alma
27
Amante EternaMúsica Eu 29
29
Beijos Um dia a Voejar 43
42
Rosa Savle
47
Quantas vezes Amor?A procura da Real Essência 53
53
Silentes lábios exóticos
59
Seja minha
63

Common terms and phrases

Bibliographic information