Maldita Guerra

Front Cover
Companhia das Letras, 2002 - Brazil - 617 pages
3 Reviews
Escrito em linguagem clara e objetiva, este livro é fruto de quinze anos de pesquisas em arquivos e bibliotecas do Brasil, do Rio da Prata e da Europa. FRancisco Doratioto, graduado em história pela USP e doutor em história das relações internacionais pela Universidade de Brasília, viveu durante três anos no Paraguai, o que lhe permitiu visitar locais e conhecer a memória oral ainda existente sobre a guerra. A Utilização de fontes tão diversificadas resultou em descobertas surpreendentes e na recuperação de informações publicadas no final do século XIX e começo do XX.DOratioto explica o início do conflito através do processo histórico regional, rejeitando a interpretação de que o imperialismo inglês seria o responsável pelo desencadear da luta. O Autor relata o duro cotidiano das tropas aliadas e mostra toda a dinâmica da guerra, reavaliando a atuação de chefes militares como Mitre, Tamandaré e Caxias. AS principais batalhas são contextualizadas de forma didática em mais de 20 mapas, enquanto personagens e situações encontram-se representados num interessante conjunto de ilustrações e fotografias. OUtro aspecto investigado é o contexto internacional do conflito: a simpatia da opinião pública pelo lado paraguaio, a neutralidade das potências européias e a postura favorável ao Paraguai por parte dos Estados Unidos e países sul-americanos.A GUerra do Paraguai foi um marco na história dos países envolvidos. NO caso do Brasil, sorveu recursos humanos e financeiros de que a economia brasileira carecia para sua expansão. COm sólida base documental e metodológica, Maldita guerra desfaz mitos antigos e recentes sobre o conflito, constituindo-se em obra de referência sobre o tema.

What people are saying - Write a review

User Review - Flag as inappropriate

La guerra del Paraguay ha tenido a lo largo de 140 años, muchas versiones y revisiones. Despues de la absoluta condena inicial a Lopez, promovida por quienes quedaron vivos (o volvieron del exilio) en las primeras decadas del S. XX, se alzo un primer revisionismo, reivindicandolo. Esto se concreto finalmente en 1936, cuando ya no quedaba ningun actor de la guerra vivo y tuvo las caracteristicas de la decada, fuertemente cargada por los movimientos fascistas triunfantes en Europa. Lopez, por tanto, tomo el color de un dictador por necesidad, pero benevolo y amante de su pueblo, con caracteristicas heroicas.
Una segunda corriente revisionista retomo el tema de la Guerra en los 70's, encabezada por autores brasileros y argentinos. Esta vez los vientos que soplaban eran de izquierda, y la reivindicacion tuvo ese tono. Lopez fue entonces el precursor socialista, de mano fuerte, conductor de un pais con desarrollo independiente y anti-imperialista.
Finalmente, podriamos hablar de una tercera revision, impulsada por esta obra, donde el analisis es -a la distancia- mas objetivo. Profusamente documentada, con citas de fuentes para cada afirmacion y acceso a documento primarios, esta ordenada cronologicamente, pudiendo consultarse casi como una enciolpedia. El indice onomastico tambien la hace una excelente obra de consulta.
Es posiblemente la mejor y mas documentada obra actual sobre la Guerra del Paraguay, o de la Triple Alianza.
 

Other editions - View all

Bibliographic information