Historia geral de Portugal, e suas conquistas, Volume 17

Front Cover
Na Typografia Rollandiana., 1800 - Portugal
0 Reviews
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Selected pages

Other editions - View all

Common terms and phrases

Popular passages

Page 237 - ... que pretendem algum direito; e tambem juro e prometto, pelo mesmo juramento, de estar pela sentença que vossa alteza, ou os juizes que vossa alteza escolher e declarar (dos nomeados nas ditas pautas) derem no caso da successão...
Page 235 - Nem tomaremos voz nem bando por pessoa alguma, sob pena que quem o contrario fizer, seja ávido por tredor, desleal inimigo da Republica, e do assossego delia, e da sua própria pátria, e como tal seja castigado no corpo, na honra, e na fazenda, e nas mais penas que os taes merecem.
Page 237 - ... de incorrer em todas as penas, em que conforme a direito incorrem aquelles que por força procuram de haver a posse de cousas a que pretendem algum direito; e tambem juro e prometto, pelo mesmo juramento, de estar pela sentença que vossa alteza, ou os juizes que vossa alteza escolher e declarar (dos nomeados nas ditas pautas) derem no caso da successão d'estes reinos, e de por minha parte cumprir e fazer cumprir e guardar a dita sentença em tudo e por tudo inteiramente : o qual juramento assim...
Page 234 - D.Henrique nosso senhor, juramos e promettemos pelo juramento dos Santos Evangelhos, em que corporalmente pomos nossas mãos, em presença de vossa alteza, que não reconheceremos por Rei nem por Principe d'estes Reinos e senhorios de- Portugal, nem obedeceremos a pessoa alguma como tal, se não áquella somente a que por justiça for determinado que pertence a sucessão d'elles, em caso que vossa alteza falleça sem descendentes, nem tomaremos voz nem bando por pessoa alguma, sob pena de quem o...
Page 235 - ... por força de armas ou por qualquer outro modo illicito, ou que traga alguma perturbação, ou inquietação na Republica, quiser ou intentar aver a dita successaõ lhe naõ obedeceremos, antes lhe resistiremos com todas nossas forças e poder.
Page 236 - BRAGANÇA Muito alto e muito poderoso Rei D. Henrique meu senhor, eu D. João, duque de Bragança, juro e prometto pelo juramento dos santos evangelhos, em que corporalmente ponho minhas mãos, em presença de vossa alteza, de em tudo e por tudo obedecer inteiramente aos governadores e defensores d'estes reinos e senhorios de Portugal, eleitos e declarados por vossa alteza (dos nomeados pelos estados d'elles, nas pautas que pera isso deram a vossa altesa), e isto em caso que vossa alteza não determine...
Page 236 - Portugal, eleitos e declarados por vossa alteza (dos nomeados pelos estados d'elles, nas pautas que pera isso deram a vossa altesa), e isto em caso que vossa alteza não determine em sua vida a causa da successão dos ditos reinos, ou falleça sem descendentes; e outro sim juro e prometto pelo dito juramento, que por força, ou armas, ou qualquer outro modo illicito, ou que traga alguma inquietação ou perturbação na republica, não procurarei nem intentarei de haver pera mim, nem pera outrem...
Page 235 - ... e da sua própria pátria, e como tal seja castigado no cor<po, na honra, e na fazenda, e nas mais penas que os taes me
Page 235 - ... na Republica, quiser ou intentar aver a dita successaõ lhe naõ obedeceremos, antes lhe resistiremos com todas nossas forças e poder. « E outro si juramos e prometemos pelo mesmo juramento, de em tudo e por tudo obedecermos inteiramente aos Governadores, e Defensores destes Reynos, que por Vossa Alteza forem electos e declarados, daquelle numero que por nos os estados delles...
Page 260 - ... sujeitos , debaixo de jugo alheio , com a sua coragem pasmada, a sua gloria abatida , e em figura de outros homens , que naõ paredaõ Portuguezes.-. r ; . :?. : i".

Bibliographic information