O que eu vi o que nos veremos

Front Cover
Google, Inc., 1918 - Aeronautics - 100 pages
Santos Dumont é conhecido no Brasil como o pai da aviação, porém, apesar de toda a sua fama, poucos sabem que esse herói nacional deu testemunho em livro de sua vida e de suas aventuras pioneiras pelos céus. Com a reedição de "O que eu vi, o que nós veremos", última obra publicada em vida por Santos Dumont, em 1918, a Coleção de Bolso Hedra traz ao público leitor um texto de prosa solta e elegante, em que o autor narra e comenta seus feitos e idéias, abordando questões diversas sobre a conquista dos ares e o posterior desenvolvimento da aviação, quer no mundo, que no Brasil. O livro é permeado de fotos históricas e antecedido por uma introdução de Henrique Lins de Barros, o principal especialista na vida e na obra de Santos Dumont. Segundo Barros, "O que eu vi, o que nós veremos" é um pequeno grande livro, que nos permite conhecer aspectos da personalidade do inventor difíceis de se conhecer de outra forma, mostrando um homem generoso com os outros, mas orgulhoso de si, que sabe da importância do que fez.
 

What people are saying - Write a review

We haven't found any reviews in the usual places.

Selected pages

Other editions - View all

About the author (1918)

Santos-Dumont (Alberto Santos-Dumont) nasceu em Palmira, MG, em 20 de julho de 1873, e faleceu no Guarujá, SP, em 23 de julho de 1932.Era filho de Henrique Dumont, engenheiro formado pela Escola Central de Artes e Manufaturas de Paris, e de Francisca de Paula Santos. O aeronauta, esportista e inventor brasileiro, em junho de 1931, foi eleito imortal da Academia Brasileira de Letras, para a cadeira 38, mas não chegou a tomar posse. Entre suas obras estão: Os meus balões, memórias (1938); O que eu vi, o que nós veremos, memórias (1918).

Bibliographic information